sábado, 3 de fevereiro de 2007

Cobertos com banha de porco


Sheiks: "Com cobertura" (DaNova; 1980)
Agora que o Portuguese Nuggets fará despolar uma corrida à escavação de pepitas sonoras nacionais, é preciso ter algum cuidado com as banhadas. Uma dessas possiveis banhadas que gostaria de referir é o álbum de regresso de 1980 dos Sheiks.
Banda de meninos foram um furor nos anos 60's - como uns Beatles, justamente porque no Antigo Regime não havia Beatles para ninguém - e separam-se nos anos 70, voltando a editar este disco em 1980. O Rock que tocam é um Pop - há até um Reggae - sem piada nenhuma, com tiques de Beatles (fase Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band) e letras de falso proletário que só podiam ser escritas por um dos poetas mais tristes de Portugal - ou seja, José Jorge Letria, que assina metade das letras do álbum.
A primeira música, intitulada Sheiks com cobertura, mostra logo que teremos um "show de variedades" e não um disco de Rock. A segunda, Rockinho mandado, confirma a acusação, onde Rock é misturado com música popular («tiro/liro/liro, tiro/liro/liro oh yé!»), o que acaba por ser divertido por ser tão ridículo e kitsch. Depois disto é uma descida turbo de foleirada constrangedora.
Para quem quiser os Sheiks à séria terá de encontrar em nos singles em vinil (raros) ou pela compilação em CD "Os grandes êxitos dos Sheiks" (EMI; 1993).
Qualidade numérica: 2,5/5 Objectivo pós-audição: despachar ao primeiro otário fã de MMP

1 comentário: