sexta-feira, 18 de junho de 2021

21

- Adam Curtis: Can't Get You Out Of My Mind (BBC)

- Aldous Huxley : Também o cisne morre / After Many a Summer (dies a Swan) (Livros do Brasil; 196? - orig. 1939)

- Frans Masereel : La Ville (Martin Halleux; 2019 - orig. 1925)

- David Lodge : Thinks... (Penguin; 2001)

- Philip K. Dick : Os Olhos do Céu (Panorama; 1957)

- Carlos da Fonseca : Para uma análise do Movimento Libertário e da sua História (Antígona; 1988)

- Frantz Fanon : Pele Negra, Máscaras Brancas (Letra Livre; 2017 - orig. 1952)

- Yeong-shin Ma : Moms (Drawn & Quarterly; 2020) 

- José Feitor: Fosso #1 + Tumulto (Imprensa Canalha)

- Asghar Farhadi : À procura de Elly  (2009)

- John Berger : Ways of Seeing (BBC; 1972)

- Stan Neumann : Le temps des ouvriers / O tempo dos operários (Les Filmes D'ici; 2019)

- L.U.M.E. : Xabregas 10 (Clean Feed; 2016)

- Julie Doucet : Dirty Plotte : The Complete Julie Doucet (Drawn & Quarterly; 2018)

- Luigi Comencini : Lo Scopone Scientifico (1972)

- Jules Renard : O Pendura (Assírio & Alvim; 2009 - orig.: 1892)

- Akira Kurosawa : Rashomon - Às portas do Inferno (1951)

- Akira Kurosawa : Yojimbo (1961)

- Jafar Panahi : 3 Rostos / 3 Faces (2018)

- Mario Monicelli : Amici Miei / Meus caros amigos (1975)

- v/a : Querosene (Chili Com Carne)

quarta-feira, 16 de junho de 2021

Comix-Remix-Snif-Snif

 


Saiu o #60 da revista Kuti e no seu editorial relembram ao seu fiel público dos meus textos sobre "Comix Remix" (ler em português aqui e aqui). Quase que chorei...

Não esquecendo que os textos foram recuperados há pouco tempo naquele monstrinho que até ganhou prémio em Angoulême...

quinta-feira, 27 de maio de 2021

É só Vaidade (outra vez mas diferente)




A Chili Com Carne, com a parceria dos Discos de Platãovai regressar com o seu Mercado de Edições Independentes NECROMANCIA EDITORIAL, cuja última edição foi no Milhões de Festa de 2018!!

Mantemo-nos no Norte e assim sendo no Sábado de dia 5 de Junho estaremos no ESTALO!, um evento a acontecer no Instituto de Design de Guimarães, que inclui exposição, filmes e concertos. O horário será entre as 11h e as 19h. 

Estão confirmadas a presença dos seguintes editores: Associação Chili Com Carne + MMMNNNRRRG (2000-20), Atelier Arara + Favela + Fojo + Gabinete Paratextual + O Gorila + Sonoscopia, Bestiário, Discos de Platão + Sarna, Erva Daninha + Massacre, Imprensa Canalha, Palpable Press e Rodolfo Mariano.

Este mercado apresenta o melhor que se produz em zines, revistas, livros, k7s, discos, ou seja a "edição independente" que luta contra a estupidificação do mercado da cultura.

Venham porque já está tudo bem!


Novidades editoriais:

- Fosso #1 (Imprensa Canalha), de José Feitor
- M.A.L. vol. 000, de Rodolfo Mariano
- Pentagrama #0 (Mãotanha Livros), de Rodolfo Mariano
- Querosene (Chili Com Carne), v/a
Swallow the Universe de João Caridade
- Tumulto (Imprensa Canalha), de José feitor


 





De resto, o ESTALO terá uma exposição de originais de André Coelho (Terminal Tower e Acedia) intitulada Território - Término e uma mostra bibliográfica da Fundação Farrajota que volta a ser É só vaidade!



Mostra bibliográfica constituída por fanzines e outras edições independentes do acervo da Fundação Farrajota. Podemos considerar os zines como um artesanato urbano da Era da Informação, publicações amadoras em marginalidade, galerias nómadas e precárias, reações à tirania da História. Localizáveis desde os anos 30, sofreram mutações mas continuam a provocar dores de cabeças a todos que gostam de gavetas certinhas. Estarão expostas uma série de publicações para provarem a sua riqueza de temas e formatos, embora a selecção desta mostra irá-se incidir sobretudo na BD.

sábado, 22 de maio de 2021

Fuck you all, é um dos melhores discos de Rock de sempre!

 


É uma merda ser kota vindo dos anos 90, não tinha guito e foi tudo ouvido em k7s manhosas, álbuns incompletos, tudo manhoso! Agora que tenho guita, YES!, posso comprar os CDs que quiser e recuperar discos do caralho, fuck you all!!! 

Fontanelle (Reprise; 1992) das Babes in Toyland é um power que está lado-a-lado com qualquer Nirvana ou Big Black. Aliás, desde este disco que não há Rock assim!!! Um dia volto a isto menos excitado!

Desculpem, podem voltar ao vosso Netflix e outras punhetas...

PS - 'pera lá, vendo a ficha técnica, finalmente, topo que a produção esteve a cargo de um Sonic Youth (Lee Ranaldo) , o "mixing" por um Skinny Puppy (Dave Ogilvie) e a "masterização" a cargo de Howie Weinberg que já trabalhou para tudo que é gato sapato neste planeta Pop, da Madonna ao "grande poeta de Chicago" (cóf cóf cóf). Isto explica o disco ser uma bujarda? Mas que significa também que afinal é um grande artifício?

PPS - ouvindo o álbum de estreia Spanking Machine (Twin/Tone; 1990) que elas já eram boas mas realmente o som é mais garage ou o que seria o Grunge. Fontanelle é outro campeonato, parece uma ópera de punks, tal é a forma como os vocais são esticados e dramatizados. Musicalmente é mais rico, com breaks e momentos Dark, como o instrumental Quiet Room. Sim, há qualquer coisa de Skinny Puppy apesar de estarmos em terrenos Rock.

PPPS - Nemesisters (Reprise; 1995) pode ser um grande título para disco mas é um bocado chato e paradoxal, tanto mantem as características da banda que tanto correm muito bem como parece uma caricatura grunge sacada ao Hate do Peter Bagge, como experimentam cenas que não tem interesse nenhum como fazer uma péssima e irónica (?) versão de We are Family das Sister Sledge, o que se tornou um paradigma nos anos 90 para bandas esgotadas de ideias. Se calhar este é o famoso "díficil segundo álbum" da banda - embora seja o terceiro, arf arf arf... Ainda assim rocka só que uma hora de disco para este tipo de som não resulta, especialmente com a palha metida pró fim.

quarta-feira, 12 de maio de 2021

segunda-feira, 10 de maio de 2021

Trabalha, malandra!

 


Alexandra Saldanha invés de estar a fazer a BD para o próximo número do Mesinha de Cabeceira, distrai-se a ler números antigos! Ainda por cima daqueles números do kota Farrajota. 'Tá provado que a BD é dissuasor da produtividade e promove a procrastinação. Assim não dá, chavala! Entretanto, topem o novo disco da sua banda Unsafe Space Garden...

segunda-feira, 3 de maio de 2021

sábado, 24 de abril de 2021

Que giro!



Apesar da Neat Records ser especialista em Punk e derivados, de lá tenho é trazido pérolas sessenteiras & psicadélicas mais que rock com picos. Primeiro choque, o primeiro álbum dos Alice Cooper. Que apesar do vocalista já assinar com esse nome ainda era uma banda - pois, o Marilyn Manson não inventou nada. Pretties for you lançado em 1969 é um choque não porque já haja aqui Hard Rock / Shock Rock / Arena Rock que se conhece de Alice Cooper e as suas jiboias em palco, mulheres decapitadas e outros truques de palco mas porque é um álbum de rock psicadélico, até convencional, porreiro, orelhudo e com pedaços estranhos de "experimentalismo". Mais para Pink Floyd ou Beatles do que que Black Sabbath ou Steppenwolf. Mesmo a capa de Ed Beardsley engana, parece mais um disco de post-punk tipo Gang of Four do que dos anos 60 e a sua estética ácida. Dizem que o Frank Zappa foi o produtor mas que não produziu nada, aparece que despareceu enquanto gravavam e quando voltou disse que 'tava feito. Por acaso o disco é muito cru - os Beatles ou Pink Floyd não teriam um disco assim - mas justamente por isso que soa bem, som bonitinho Poppy mas com uma sujidade entranhada tipo caspa, unhas sujas, cuecas borradas, ramelas, cera nos ouvidos e ranho. Depois disso, os discos da banda e vocalista perderão interesse apesar da sua importância juvenil que teve ao longo dos anos 70 e depois disso - de Ramones a Rob Zombie, dos Sex Pistols aos Guns'n'Roses... E a Queens of The Stone Age - soam bués a este disco...




Cauldron é um álbum de 1968, o único dos Fifty Foot Hose e percebe-se porque se transformou num disco de culto para gente como os Throbbing Gristle. Se aparentemente o disco promete psicadelismo simpático tipo Jefferson Airplane com um uso da Electrónica possível na altura - tal como os seus contemporâneos White Noise ou Silver Apples também começam a explorar - aos poucos o disco vai-se transformando num pequeno monstro de transístores torturados, sons cósmicos e Noise Rock antes do tempo. Uma reedição de 1996 que inclui faixas raras, então, dá a impressão que foi mesmo preciso limpar o experimentalismo barulhento da banda antes de gravar um disco prás prateleiras do comércio. GRANDA-MALUCOS!

terça-feira, 6 de abril de 2021

#29: A Fábrica de Erisicton

 


Esta semana o fanzine Mesinha de Cabeceira volta numa onda de "back to the basics" após cinco anos de ausência. Este retorno às origens humildes de uma tiragem baixa de 100 exemplares, como fanzine / zine / perzine (riscar o que não interessa), tal como em 1992 (ano do primeiro número) tem a razão de ser para dar voz a autores desconhecidos / novos / fora de qualquer radar (riscar o que não interessa).

Começamos com A Fábrica de Erisicton de André Ferreira que é uma BD eco-psicadélica inesperada sobre a destruição do Alentejo pelas culturas super-intensivas que se praticam. O grafismo é tão naíf como visionário, com poucos sítios para segurarmo-nos se não fosse o facto da mensagem ser tão desesperante. O aviso já pouco serve, o Destino está traçado, como se vê nestes anos estranhos que vivemos, em que nada mudou em termos de atitude ecológica, a borregada quer é viajar e poluir. 

Resta-nos estes pedaços de arte colorida e imaginativa em singelas 24 páginas. 
Obrigado André!



Mesinha de Cabeceira #29, edição da Chili Com Carne, Abril 2021, 24p a cores 18x25 cm, capa a cores, 100 50 exemplares.



distribuição limitada à loja em linha da Chili Com Carne e ainda na Kingpin Books, Linha de Sombra, Neat Records, Snob, Tigre de Papel, Tinta nos Nervos e na ZDB.



sobre o autor: faz música sob o nome de Goran Titol - que poderá participar este ano numa colectânea da nossa série Música Portuguesa a Melhora-se Dela Própria -  animação em técnica de "stop-motion" com ajuda na Mãe Natureza e é autor da BD tendo participado na antologia Venham +5 e com o livro a solo Ouro Formigas (2013), ambos publicados pela Bedeteca de Beja.


 FEEDBACK: 

Panfleto libelo anti-destruição da natureza em nosso torno, disfarçado de reconto mitográfico psicadélico (...), breve passeio alucinado que deveria antes servir de guia para redescoberta da nossa paisagem e manual de instruções para a sua recuperação... segundo a Tinta Nos Nervos


quarta-feira, 31 de março de 2021

Punk DVD


Desconhecia totalmente este filme / documentário, The Punk Rock Movie, de Don Letts, originalmente de 1978 e entretanto com uma dezena de edições audio-visuais com capas terríveis - é o caso desta edição da JGS de 20__? - e o som falsificado com gravações de estúdio dos temas (idem com esta edição). Sim, na essência são gravações de concertos de Letts - o famoso DJ  que solidificou a ligação do Punk aos sons jamaicanos - nos 100 dias de existência do The Roxy, mítico clube londrino de Punk Rock. 'Tá cá toda a gente da altura em performances quase sempre chatas, sobretudo os vocalistas que nunca sabem o que fazer quando não cantam. Aliás, percebe-se porque os Sex Pistols serão sempre os melhores desta colheita, Rotten está sempre a cantar e/ou a fazer caronhas, e isso ajuda imenso a ouvir Rock tosqueira! Depois há gajos a chutar heroína ou a auto-mutilarem-se no peito. Impressiona. Não convém estar a almoçar a ver isto. Curioso isto tudo, foi noutra era. Seguimos em frente!

Gracias Patrícia!

Superturunen!!!!!!!!!!!!!!!!


Dekathlon é um dos seis gajos (?) de Circle a fazer Synth-pop-wave-whatever tal como há outros gajos da banda a fazerem outras mil e uma coisas... Prontos deu para isto. Be Safe / Comfort Zone (Fell Contact / 2019) é um 7" cor de laranja e isso é um ponto positivo. O outro ponto positivo é a capa do grande Marko Turunen, um autor de BD e ilustrador finlandês impossível de não amar. A música é abaixo de cão, ou o resultado quando ex-metaleiros se aborrecem, deixando um rastro de destruição que queima a vida, a arte e tudo o mais o que interessa. Vão ouvir Human League ou Depeche Mode invés, aqui perde-se tempo, pouco.. porque é um single.

Kiitos Superturunen!

sábado, 13 de março de 2021

CIA info 90.0

 


Desenho para o próximo disco dos The Dirty Coal Train, os únicos punks garageiros tugas fixes! Acho que os camaradinhas Pedro Brito e João Maio Pinto também irão contribuir com ilustras.

quinta-feira, 11 de março de 2021

Light Metal! Light Metal?

 


Quando abri o pacote de Natalixo atrasado que o Pastor Gaiteiro enviou no outro dia, quase que me vim ao ver o CD Light Metal (auto-edição; 1998)! Light Metal? Versões em tuba de clássicos do Metal? Como os Alice Donut faziam? (olha bandinha completamente e injustamente esquecida!). 

Nada disso, Tubalaté é um quarteto de ingleses pervertidos (todos os ingleses o são, bem sei da redundância da frase) que tocam tubas de peças de Tchaikovsky aos Beatles, de forma agradável, leve e tal. Tão agradável e leve tal como despreocupados que o CD nem está masterizado e para o fim o volume do som vai baixando, quase parecendo que estamos a a ouvir The Caretaker. Ainda assim obriga a um gajo a levantar-se do sofá, interrompendo a impreterível leitura de literatura anarquista, para ir aumentar o som e conseguir ouvir o disco como deve ser.

"Light Metal" no entanto - não se riam - existe, lembro da existência dos H.I.M. e dos Ghost. Há historial! Não me lixem!

domingo, 31 de janeiro de 2021

Perkele!



Lançado em Dezembro de 2019 eis que o THE THICK BOOK OF KUTI que comemora os 50 primeiros números do jornal / revista de BD Kuti, ganhou o Prémio de BD Alternativa do Festival de Angoulême!!!

Editado por Tuomas Tiainen e Heikki Rönkkö, participo com o artigo "Comix Remix" (ler aqui e aqui) em inglês, neste tijolo de 480 páginas sou com o André Lemos, os únicos portugueses publicados entre gente como Sami Aho, Max Baitinger, Zven Balslev, Benjamin Bergman, Pakito Bolino, Lilli Carré, Anna Deflorian, Terhi Ekebom, Roope Eronen, Frédéric Fleury, Aisha Franz, Matti Hagelberg, Anna Haifisch, Jyrki Heikkinen, Alejandro Jodorowsky, Bendik Kaltenborn, Kapreles, David Kerr, Marlene Krause, Jarno Latva-Nikkola, Tiina Lehikoinen, Lilli Loge, Gunnar Lundkvist, Moolinex, Søren Mosdal, Jérôme Mulot, Tommi Musturi, Pauliina Mäkelä, Jyrki Nissinen, Pentti Otsamo, Ville Ranta, Aapo Rapi, Kati Rapia, Helge Reumann, Sam Rictus, Florent Ruppert, Anna Sailamaa, Olivier Schrauwen, Tiitu Takalo, Rui Tenreiro, Alessandro Tota, Katja Tukiainen, Marko Turunen, Brecht Vandenbroucke, Amanda Vähämäki, Mikko Väyrynen, Emelie Östergren... ufa... e ainda há muito mais!

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

Exploding Whale 50th Anniversary, Remastered!


Faz lembrar o nosso governo na luta contra o covid.

sábado, 9 de janeiro de 2021