domingo, 29 de julho de 2012

Adalberto Alves: O Meu Coração é Árabe (3ª edição, Assírio & Alvim; 1998)

Já aqui falei de outro livro deste autor e sem ler o actual roubei descaradamente o título para uma categoria de "posts" deste blogue.

Sinopses na 'net revelam o livro desta forma: O Meu Coração é Árabe revelou ao grande público português a sua herança poética árabe. São trezentas páginas preenchidas maioritariamente pela lírica de quarenta e sete poetas árabes que nasceram no espaço sul do Portugal hodierno. É uma poética refinada e densa, que fala do amor, da injustiça da morte, do quotidiano. Rica na sua expansividade, densa na emoção, esta poesia é também um alicerce, juntamente com a dos cancioneiros, do sentir poético português. Deve-se a Adalberto Alves este livro de paixão.

Agora que o consegui arranjar a 3 euros na Feira da Casa da Achada há umas semanas posso finalmente dizer algo sobre ele embora pouco possa acrescentar em relação à sinopse porque de longe sou crítico de poesia e poesia é mesmo algo que não consigo entender / ler / gostar / apreciar & tudo mais. Claro que não fiquei indiferente ao ler um poemicho de um tal Abû 'Uthmân, natural de Tavira (séc. XIII) que escreve como são bizarros certos reis / transformados em escravos do prazer / apenas desejam duas coisas / bocetinhas e bocas de mulher... (!?)

Mais interessante é a introdução de Alves, coordenador e tradutor, que revela a incúria que a cultura árabe na península sofre e que acontece até ao nível académicos e literário. Mais do que isso, a poesia árabe (peninsular, andaluz) é mesmo vista com desprezo e antagonismo nesses círculos intelectuais, por certo pela lavagem cerebral que o Cristianismo e o Ocidentalismo lhes fizeram. Esta edição ampliada e revista inclui também alguma iconografia árabe da qual destaco uma gravura de um cavaleiro cristão e um árabe quase a darem um linguado.

Irmão, se gostas de Poesia ou se achas que algo de errado está no teu espírito colonizado, deixa o álcool barato e procura este livro. Alá será generoso e até te passará uma bocetinha de virgem lá nos céus.

2 comentários:

Mauricio Outeiro disse...

Bom dia.
Não é propriamente um comentário mas um pedido de ajuda.
Meu filho está no 10º ano e tem que ler este livro e não consigo encontrá-lo à venda. Conseguiria me ajudar? Meu contacto é mauricio.outeiro@gmail.com. Desde já, obrigao.

MMMNNNRRRG disse...

não faço minima ideia, acho que comprei este livro na Livraria do Simão nas Escadinhas do Duque...
E porque não usa um exemplar de uma biblioteca?
M